Transfofa em Blog

Um espaço especial e pessoal, para dar relevo a cada momento único - Bem Vind@ ao meu Blog!

domingo, Julho 30, 2006

[Sweden]
More Swedes having sex changes
The number of sex change operations in Sweden has tripled in the past 13 years.

[TX, USA]
Clinic to host first-ever transgender healthcare forum
Dr. Wayne Bockman, who oversees transgender care at Legacy Community Health Services, has seen the horror stories of transgender persons who will stop at nothing for change.

[USA]
"Transgender? You're fired!"
Or worse—you may be murdered. Transgender people may face discrimination on the job, in housing, or even in trying to pee. Some turn to legal proceedings to establish their rights. Some never get the chance to fight back.

sábado, Julho 29, 2006

Excelente !!!


clicar na imagem para ver full size

Diário de Notícias Online de 28/07/2006

Opinião


Ana Sá Lopes


[DC, USA]

Working quietly behind the scenes, Darlene Nipper, director of D.C. Mayor Anthony Williams' Office of Lesbian, Gay, Bisexual & Transgender Affairs, helped put together the nation's first known transgender job fair sponsored by a U.S. city.


[USA]
We've all heard of male-to-female and female-to-male gender identification, but have you ever hear of female-to-femme? In this era gender exploration filmmakers Kami Chisholm and Elizabeth Stark bring us FtF: Female to Femme (www.ftfthemovie.com), a documentary that explores femme dyke identity as a radical gender _expression.


[CA, USA]
A body found in a submerged car in the Delta on Wednesday may be that of a Lodi transgender woman missing for more than a year.

sexta-feira, Julho 28, 2006

26-07-2006
FALTA DE EDUCAÇÃO = DELINQUÊNCIA JUVENIL

Uma equação (manifestamente) simples, mas (muito) perigosa

A delinquência juvenil, em crescimento, diz-se, é fenómeno preocupante e demonstrativo de várias e gravíssimas deficiências na educação e no acompanhamento das nossas crianças, dos nossos adolescentes e dos nossos jovens, e de falhas sérias e patologias várias no funcionamento das famílias, das cidades, da sociedade em geral e das instituições do Estado.

Não há crianças boas e crianças más, não há jovens delinquentes e jovens bem comportados, como não há adultos pecaminosos, e outros que sejam puros e santos; uns que sejam intrinsecamente criminosos e outros totalmente inocentes e livres de pecado. Admitir este maniqueísmo, e enfiar a cabeça nas areias movediças dos simplismos e em ideias feitas, é não perceber a natureza complexa do homem e a liberdade e a dignidade da pessoa, é reduzir o ser humano a estereótipos, a etiquetas, a compartimentações perigosas. É, por isso, que não suporto os perfis, os lombrosianos, os redutores da realidade ou das realidades, que são cada vez mais fruto do imediatismo, do mediatismo e do superficialismo vigentes.

Independentemente do sentido das decisões judiciais e independentemente também da culpa ou inocência dos acusados ou dos indiciados, vem tudo isto a propósito do caso Gisberta. Preocupante pelo que significa de violência gratuita e de tortura repetida até à violação mais grave do direito à vida e do desrespeito completo pela pessoa. Mais preocupante pelo que pode significar um conjunto de agressões e uma morte infligidas por razões de aproveitamento da fragilidade e da miséria, de ódio homofóbico ou de repúdio a um transexual. Mais a mais como "rotina", como "passatempo" ou como "brincadeira". E igualmente preocupante pelo que também significa de desrespeito pela diferença do outro e de reacção, reacção tardia, ou falta dela, das instituições e pessoas, ligadas, directa ou indirectamente, ao caso.

Falta, pois, educação, educação complementar para aceitar a diferença, para tolerar a diversidade, para cumprir as regras, para respeitar o outro e a autoridade. Falta, enfim, educação para a cidadania. Ou, numa palavra, falta educação. E desta, da falta de educação, à delinquência, é um pequeno passo...

CDHOA (Comissão dos Direitos Humanos da Ordem dos Advogados)


Diário de Notícias Online 27/07/2006


Fernanda Câncio


[MO,USA]
Politicians looking to launch high-profile careers awash in the cable news klieg lights and the Sunday network gabfests should avoid this town's Board of Aldermen.


[MD,USA]
At 54, Former surgeon Dr. Dana Beyer is tall and dignified. With a persona that radiates unflappable efficiency, she busily paces aboutin her Chevy Chase home on a Saturday morning an hour before canvassing the neighborhood.


[Canada]
Georgina Beyer, the world's first transgender MP, will address the first International Conference on LGBT rights, which opened in Montreal, Canada, last night, in association with the inaugural Out Games.


[India]
More than two-thirds of the transgendered community in Chennai already have family cards, according to Asha Bharathi, president of the Tamilnadu Aravaanigal Association. Only about a 1,000 of the 3,000 transgendered people in the city have not received the cards, she says.

quinta-feira, Julho 27, 2006

[MA,USA]
Harvard Introduces Third Gender
Prospective applicants to prestigious Harvard Business School no longer have to be of the male or female gender. One pro-family leader in Washington, DC, is criticizing the school for legitimizing transgenderism.

[NJ,USA]
Police: Transgender Thief Stealing From Purses
Police said a transgender thief has been stealing from women's purses at a rest stop along the Garden State Parkway.

[New Zealand]
Cross-dressing lawyer skirts dress code
A male lawyer who appeared in a New Zealand court dressed in an ankle-length skirt, lace stockings and a diamond brooch said Tuesday he was protesting against a male bias in the country's justice system.

[USA] [Books]
In Istanbul, 1836, eunuch detective works a murder mystery
The year is 1836 and the place is Istanbul.
Europe is modernizing, and the sultan is about to announce great changes to the Ottoman Empire when a rash of mayhem threatens the stability of the court. A member of the sultan's harem is found strangled, and four cadets of the New Guard go missing.

quarta-feira, Julho 26, 2006

Rádio Renascença Online: "Caso Gisberta": A alteração na acusação e o comentário
O Ministério Público "deixou cair" a acusação de tentativa de homicídio imputada a 13 menores no processo relativo à morte de um sem-abrigo, no Porto. Rui Patrício comenta.

Diário de Notícias Online: MP recua na acusação de homicídio no 'caso Gisberta'
O Ministério Público (MP) deixou cair a acusação de homicídio na forma tentada, com dolo eventual, no julgamento da morte da transexual Gisberta, que decorre no Tribunal de Família e Menores do Porto.

SIC Online: Acusação reduzida no caso “Gisberta”
Menores vão responder apenas por ofensas corporais qualificadas.

Alguém quer comentar???

[South Africa]
Gender, a state of mind
Robert Hamblin has fond memories of his childhood. His male cousins accepted him as just another mate. His grandfather used to take him round the farm and joked about the bulls' twaksakke (balls). He did not mind that the child carried the name of Adele.

[AL, USA]
Wrong to print transgender story
I have to agree with S. F. Johnson about the transgender cover story. It is inappropriate for the front page, much less anywhere else in the paper.

[India]
School allows change in name after sex change
In the first case of its kind, the Himachal Pradesh Board of School Examination has allowed a student who underwent a sex change operation to change her name to that of a boy.

[Iran]
Activists: Iran wants all gays to get sex-change operations
Iranian government policies encourage all gays to get a sex-change operation, the Persian Gay and Lesbian Organization claimed July 19.

[MD,USA]
Candidate is milestone for transgender Americans
The 54-year-old former eye surgeon believes the glut of lawyers instate legislatures leads to too many chest-thumping confrontations and too little teamwork on such critical things as expanding access to health care, creating incentives for driving environment-friendly cars, boosting the minimum wage and ensuring equality for all.

[Espanha]
Documentário conta a história da transexual que participou de A Má Educação
Sandra, nome artístico; Luis, nome real. Mulher e homem, como convivem os dois numa mesma pessoa, onde começa um e termina o outro, quando se unem e se separam. Essa constante dicotomia está presente em .Sandra o Luis., documentário da produtora Cuarto Creciente que será lançado na semana que vem na Espanha.

[Brasil/DF]
Profissionais do sexo trans de Brasília fazem abaixo-assinado por tubo de gel
As profissionais do sexo travestis, transexuais e transgêneros de Brasília têm um pedido especial para o Ministério da Saúde. Elas querem que o governo brasileiro compre tubos de gel íntimo de 100g em vez de sachês de 5g para as ações de prevenção de DST/Aids junto a elas. A reivindicação as levou a fazer um abaixo-assinado que foi entregue hoje ao Programa Nacional de DST/Aids pelo Núcleo deTravestis, Transexuais e Transgêneros do Estruturação - Grupo LGBT de Brasília.

[Colômbia]
Colômbia: trans exigem entrada de cosméticos na prisão
Transexuais da cidade de Pereira, na Colômbia, apresentaram na semana passada um recurso jurídico exigindo a entrada de cosméticos na prisão.

[Brasil/PB]
Verônica Aranha: 1ª transexual da Paraiba
Vaidosa, bonita, cheia de vida e com muita fé em Deus. Estas são algumas características de Verônica Aranha, a primeira transexual da Paraíba, que tem orgulho de ter realizado, em março deste ano, uma cirurgia para mudar, definitivamente, de sexo.

[Brasil]
Travesti é baleada em Três Lagoas
Na madrugada deste sábado, Carlon José dos Santos Araújo, de 30 anos, sofreu uma tentativa de homicídio, no cruzamento da rua Irmãos Cameshi e a avenida Raphael Dháro, no Jardim Eunice, em Três Lagoas.

[Brasil/PB]
Garçonete é acusada de matar um travesti com golpe de faca
A garçonete Elieusa Gomes, 23 anos, teria assassinado a golpe de faca um travesti, na comunidade Cruz de Almas, em Pedras de Fogo, distante 54 km de João Pessoa. O crime aconteceu na tarde da última quarta-feira, e a vítima, que seria natural de Pernambuco, ainda não teve o nome identificado.

[Japan]
Hokkaido sees first sex change operations
Two people suffering from a gender identity disorder have successfully undergone sex change operations at Sapporo Medical University, marking the first such cases in Hokkaido, officials said on Tuesday.

segunda-feira, Julho 24, 2006

Miss Transexual 2006


Correio da Manhã: Porto - brasileira vence concurso internacional de beleza
A Miss Transexual Internacional 2006 foi eleita na madrugada de ontem, no Porto. O Pride Bar organizou o evento pelo segundo ano consecutivo e contou com a presença de cerca de 600 espectadores. Dez candidatas – duas portuguesas, uma italiana, uma espanhola e seis brasileiras – desfilaram na ‘passerelle’ do conhecido bar da Invicta.

[Ireland]
Study recommends early treatment for transsexuals
More than one in four transsexuals who go for therapy in this country have been or are married, according to a new study on transsexuals.

domingo, Julho 23, 2006

[USA]
Sexual Inequality: Transgender Experience Led Stanford Scientist To Critique Gender Difference
Ben Barres has a distinct edge over the many others who have joined the debate about whether men's brains are innately better suited for science than women's. He doesn't just make an abstract argument about the similarities and differences between the genders; he has lived as both.

[IL, USA]
Transgender wrestler seeks more acceptance
David Rosen broke the shocking news years ago -- telling his wife and son that he just didn't feel right in his own body.

[CA,USA]
Eating Twinkies, the Trans Panic Defense, and Stealing Your Right to be a Heterosexual
When I first heard of the Trans Panic Defense, I thought of the Twinkie Defense. In this instance, the lawyer for the defendant argues the defendant's culpability should be reduced because they panicked when they found out the victim's gender identity or sexual orientation.

[Vietnam]
Gender reassignment to be legalised
Vietnamese authorities have finally acknowledged the domestic demand for gender reassignment surgery. The government is currently preparing a proposal to legalise sex changes

[Malaysia]
Transvestites among held in anti-crime blitz
Six transvestites were among several people detainedin an anti-crime blitz at the city centre, Inanam and Menggatal,near here, Friday.

[Brésil]
Une artiste trans dans la course des législatives
Katielly Lanzini, une artiste plastique transsexuelle de 45 ans, se présentera aux élections législatives de l'état de Santa Catarina, situé dans le sud du pays.

[India]
Community Based organisation for transgenders and HIV affected
Aiming at empowering transgenders and those affected by HIV/AIDS, a Community Based Organisation (CBO) was launched here today.

[New Zealand]
Beyer likely to retire before next election
Transgender Labour MP Georgina Beyer has said she expects to retire from politics before the next general election, reports the Dominion Post. She has previously considered leaving Parliament, but has remained to complete unfinished business.

[USA]
Gender-Bender
As courts grapple with same-sex marriage laws, a new twist emerges: How do you define man and woman?

[Australia]
Australia to recognize intersexed and androgynous individuals
Chris Somers xxy, an Australian intersexed activist having an xxy chromosome identity, has persuaded the Australian Bureau of Statistics (ABS) to accept people who are known as biologically intersexed or androgynous and do not feel comfortable in declaring themselves to be either male or female, to be able to reveal their true identity as intersexed or androgynous in the upcoming 2006 census.

[USA]
Story of Katrina funds for sex change challenged
Transgender activists are alleging that media reports that circulated widely this year about a man using Hurricane Katrina relief funds to pay for a sex-change operation were a hoax perpetrated by conservatives looking to divert attention from the Bush administration's handling of the hurricane recovery effort.

[FL,USA]
First-person: This boy is a girl?
An elementary school in Broward County, Fla., will welcome its first transgendered kindergartner this fall. School administrators and the 5-year-old's parents have agreed that it's in the little boy's best interest to operate as a female. He's been diagnosed with "gender dysphoria," a condition in which the person behaves like the opposite sex and exhibits discomfort with his or her external body parts.

[USA]
TransNation: When Oregon's venerable drag king troupe, DK PDX, broke up ...
When Portland, Oregon's venerable drag king troupe, DK PDX, broke up earlier this year, some performers - like the charismatic Johnny Mozzarella - took their acts solo while others still ponder their next creative endeavor.

[USA]
Sexologist's Death Spotlights Lies Behind 'Gender Identity' Theories
A pro-family leader says the recent death of prominent psychologist and sexologist Dr. John Money, Ph.D., of Johns Hopkins University highlights the faulty foundations of the so-called "gender identity"movement.

[IL, USA]
Police: 'War' Between Transsexuals, Gays Led To Death
A fatal stabbing in the Lakeview neighborhood earlier this month that claimed the life of a 16-year-old was the result of a "war" between transsexuals and gays, according to police.

[France]
Les UEEH de Marseille, des universités de la différence
Depuis lundi et jusqu'au 24 juillet se tiennent les Universités d'été euroméditerranéennes des homosexualités à Marseille. Ces universités – les UEEH pour les intimes – proposent plus d'une centaine d'ateliers et de colloques autour des thèmes LGBT.

sábado, Julho 22, 2006

Acabei de voltar de Marselha, onde fui às Universidades de Verão Euromediterrâneas das Homossexualidades, onde a Lara foi apresentar o documentário Gisberta - Liberdade seguido de debate.
Foi interessantíssimo, houve debates e workshops sobre temas bastante pertinentes, tais como transfobia, transidentidade entre muitos outros. Deixo-lhes aqui duas fotos da apresentação, com Lara Crespo e Jo Schedlbauer (co-autor do documentário junto com Jó Bernardo).






Mas o regresso é sempre agradável e como lá não tive hipótese de actualizar o blog, estive toda esta semana parada. E é sempre agradável constactar que tudo continua na mesma, até mesmo certos imbecis que insistem em continuarem eternamente a tentarem denegrir os seus inimigos de estimação (já agora vejam este comentário que recebi sobre o mesmo, penso que não há mais nada a dizer, e se quem o escreveu tiver sido quem eu penso que foi, a M..., gostava de ver este anormal a começar a dizer que também não é transexual, lol, era de gritos. Enfim...)
Bem deixemos estas tristes amostras de pessoas mal resolvidas e vamos às notícias que, isso sim, é importante e vale a pena.

PÚBLICO de Terça, 18 de Julho de 2006
Ana Cristina Pereira

Menores suspeitos de terem matado Gisberta precisavam de educação complementar


Rapazes afirmaram que agrediam transexual para passar o tempo. Psicóloga foca importância de actividades alternativas

Educação complementar, nomeadamente para aceitar a diferença, eis uma componente que faltou aos 13 menores que respondem pela morte de Gisberta, a transexual e sem-abrigo atirada a um poço ainda viva, defendeu uma psicóloga ontem ouvida pelo Tribunal de Família e Menores do Porto.

Os rapazes mantêm-se impávidos no julgamento, que decorre à porta fechada. Quando foram ouvidos - pelo magistrado judicial que preside à audiência e por dois juízes sociais (uma psicóloga reformada e um funcionário da Santa Casa da Misericórdia do Porto) -, explicaram que agredir Gisberta era um "passatempo", uma "brincadeira" frequente. Daquela vez, descontrolaram-se. Espancaram-na, queimaram-na com pontas de cigarro e, "por curiosidade", sujeitaram-na a sevícias sexuais.

A psicóloga foi chamada para ajudar o tribunal a entender o comportamento dos rapazes. Ao que o PÚBLICO apurou, apontou, como um dos principais factores, a ausência de uma "educação complementar" nos centros de acolhimento de menores em risco onde viviam. Talvez não tivessem atacado Gisberta se tivessem actividades desportivas e recreativas, algo capaz de os entreter nos tempos livres. Mas também educação para a cidadania, nomeadamente de promoção do respeito pela diferença.

São menores originários de famílias desestruturadas com carências de diversos tipos, inclusive afectivas. Na origem do crime, que ocorreu em Fevereiro deste ano, terá estado, também, o efeito de grupo. Quando se aperceberam que o resultado das suas acções era mais grave do que supunham, terão entrado em pânico e tentado esconder os factos.

Para além da psicóloga foram ontem ouvidas diversas testemunhas de abonação (familiares e amigos dos menores). Ainda esta semana, deverão depor dois especialistas da delegação do Porto do Instituto de Medicina Legal: um em toxicologia e outro em biologia genética. O primeiro irá abordar os hábitos de consumo de Gisberta, que seria toxicodependente. E o segundo irá falar sobre o estado do seu processo de transformação.

O Ministério Público considera ser impossível determinar que os menores causaram a morte de Gisberta (a autópsia indicou o afogamento como causa do óbito). Pede, então, a sua condenação por homicídio tentado e ocultação de cadáver.

O procurador propõe medidas tutelares de internamento em regime aberto e semiaberto que oscilam entre os 10 e 15 meses. Para os dois rapazes que só terão participado na alegada ocultação de cadáver pretende um rigoroso plano de acompanhamento escolar e familiar. Os menores ter-se-ão revelado dispostos a aceitar tais medidas. A decisão do tribunal deverá ser conhecida na próxima semana.

PÚBLICO de Quarta, 19 de Julho de 2006

Agredir Gisberta foi forma de afirmação perante os pares

O Tribunal de Família e Menores do porto ouviu ontem as considerações de uma socióloga sobre a dinâmica de grupo que estará por trás de comportamentos desviantes como os dos treze menores acusados de terem, em fevereiro deste ano, agredido a transexual e sem-abrigo Gisberta e de a terem atirado para um poço de mais 15 metros de profundidade ainda viva.

Durante a sessão, a socióloga terá defendido que os comportamentos se alteram em grupo, ainda mais em menores como estes, com carências específicas de diversa ordem. O grupo de pares substitui a família no sentido de lhes dar afecto.

Os menores terão agido como se constituíssem um bando. Uns terão dado a ideia e outros ter-se-ão sentido, de algum modo, pressionados para participar nas agressões (físicas e psicológicas) e nas sevícias sexuais. Com códigos de conduta alterados, os menores não terão querido dar parte de fracos. Terão querido afirmar-se perante os pares. Terão entendido que não alinhar seria desprestigiante, motivo suficiente para serem insultados pelos outros.

Jn On-line 20/07/2006


Eleição da Miss Transexual Internacional sábado no Porto


Iniciativa será precedida de uma concentração das concorrentes em homenagem a Gisberta


Dez transexuais de cinco nacionalidades participam sábado, no Porto, na eleição da Miss Transexual Internacional 2006, anunciou hoje no Porto fonte da organização do evento.


Esta iniciativa, que se realiza pela segunda vez no Porto, tem a participação de transexuais do Brasil, Suíça, Espanha, Itália e Portugal e tem lugar na discoteca Pride.


A iniciativa será precedida, sexta-feira, às 19:30, de uma concentração das concorrentes em homenagem ao transexual Gisberta, assassinado em Fevereiro, no Porto.


A concentração terá lugar junto ao parque de estacionamento do Campo 24 de Agosto onde foi encontrado o corpo de Gisberta Salce Júnior, numa iniciativa destinada a lutar contra a homofobia.


Esta concentração segue-se à efectuada no último dia 08, quando participantes na Marcha do Orgulho Lésbico, Gay, Bissexual e Transgénero (LGBT) também ali compareceram para chamar a atenção para a luta contra a discriminação.


( de notar: homenagem AO transexual... e lutar contra a HOMOFOBIA. Tem piada, pensava que era transfobia...)


O Primeiro de Janeiro de 21/07/2006

Alegações finais na segunda-feira


Por agora é tudo, estou cansada da viagem, DETESTO andar de avião e vou descansar. As notícias internacionais ficam para amanhã.

sexta-feira, Julho 14, 2006


Diário de Notícias de Sexta, 14 de Julho de 2006: Opinião

Paulinho e Gisberta


João Miguel Tavares


O Paulinho foi meu colega de turma na década de 80, no ciclo e no liceu de Portalegre. Tinha uma particularidade: era bastante ostensivo na exibição da sua homossexualidade, com trejeitos efeminados e cadernos da escola com fotografias dos Wham e iloveyous dedicados a George Michael. Durante os quatro anos em que estudámos juntos, não deve ter havido dia em que não tenha visto o Paulinho - o diminutivo já o diminuía - ser insultado, gozado, pontapeado, esbofeteado. Nas aulas de ginástica, ele aparecia sempre vestido de fato de treino e no final abalava para casa a pingar, porque não se atrevia a tomar banho no balneário juntamente com os outros rapazes. Nessa selva de dúvidas e hormonas que é a entrada na adolescência, o Paulinho não era uma pessoa. Era um paneleiro, uma bicha que existia para ser espancada. Identidade não tinha - o mundo brutal que o cercava reduzia tudo o que ele era a uma opção sexual.


Tenho-me lembrado muito dele durante o julgamento de Gisberta, que está a decorrer no Porto. A expressão que servia de grito de guerra dos miúdos que, num momento de tédio, a espancaram até à morte - "vamos dar lenha ao Gi" - remete para a mesma recusa de humanidade, para a mesma incapacidade de assimilar a diferença. Dizer, como foi dito por uma "fonte judicial", que "são miúdos" e que aquilo foi apenas "uma brincadeira que correu mal" é um insulto e uma dupla mentira: nem as crianças são um albergue de inocência e puras intenções, nem os adultos têm o direito de virar a cara a tamanha barbaridade. Tudo neste caso está a ser demasiado consensual: o Ministério Público, a defesa, as crianças, alegremente misturados numa comovente concordância. Já em 1978, na Ópera do Malandro, Chico Buarque contava a história de Geni, "rainha das loucas e dos lazarentos": "Joga pedra na Geni/ Joga pedra na Geni/ Ela é feita para apanhar/ Ela é boa de cuspir/ Ela dá para qualquer um/ Maldita Geni." Geni, Paulinho, Gisberta, o mesmo fio une-os numa rede de pre- conceitos. Velha como o mundo e que ninguém parece ter forças para romper.

[TN,USA]
Transgender Firefighter's Discrimination Claims Valid
Knoxville Police Department's internal investigation branch and Civil Service Board officials denounced two high-ranking Knoxville Fire Department (KFD) employees and substantiated claims made by KFD Captain Jamie Faucon that she was discriminated against on the basis of her gender identity/_expression.

[USA]
Transgenders Claim FEMA Sex Change Scandal Was Fabricated, Fraudulent
Last month, the Government Accountability Office testified before a House Homeland Security subcommittee to spotlight $1.4 billion fraudulent waste of Emergency Assistance Funds to Hurricane Katrina victims.

[CA,USA]
Transgender Stanford Professor Defends Women Scientists
As an Ivy League-trained neurobiologist who oversees a research lab at Stanford, Ben Barres feels qualified to comment on whether nature or nurture explains the persistent gender gap in the scientific community.


[Canada]
Flying Trannys cross the finish line
"I'd say the trip itself, however bumpy it was, has been really successful," asserts Noah Adams about the coast to coast cycling trip he just completed with Keenan Pinder. Both Noah and Keenan are trans men and committed activists and students, Noah at the University of Victoria and Keenan at Camosun College on Vancouver Island.
(left to right: Ottawa mayoral candidate Alex Munter, Ottawa trans activists Melanie Pasztor and Shannon Blatt)

[USA]
Studies showing sex bias are ignored, says transsexual professor
Women are not advancing in science because of discrimination, says a male professor who has an insight into the debate on whether male brains are better suited to science.


[CA,USA]
TransNation: Navy vet, outspoken activist, ambivalent pre-op

San Diego's Autumn Sandeen says she likes to whine. A lot. In fact, the board member of San Diego's Transgender Community Coalition and member of California's Transgender Equity Alliance - who also dedicates six hours a day to researching and posting items as a moderator on Yahoo's transgender news group - sees her transactivism as stemming from her complaining nature.

[India]
Hey, (S)He is a Girl
A small population of the girls in Kashmir like to dress, walk and talk like boys. Apparently a pampered lot, these tom-boys with mushroom haircut are growing in number. Rabia Noor talked to a number of these boyish girls, their parents and a noted psychiatrist only to find that the trend is an abnormality that the families must take care of.

quinta-feira, Julho 13, 2006

Julgamento do caso Gisberta - 7º dia: revista de imprensa


Jornal de Notícias: Psicólogo e socióloga explicam a violência dos menores



O Primeiro de Janeiro: Concluída audição de testemunhas no caso da morte de Gisberta



Público: Médico pode voltar a ser ouvido para explicar lesões de Gisberta



aguardam-se os novos desenvolvimentos de amanhã



[MI,USA]
Making the transition
Pressures challenge transgender lifestyle; groups confront university's policy

[EN, USA]
Who Gets to Decide a Child’s Gender?
At what age are hormone treatments an option?

[FL,USA]
Transgender child to enter Florida school
A transgender child in Florida, genetically a boy, will be admitted to kindergarten this fall as a girl, the Miami Herald reported.


[TX,USA]
Investigation Under Way Over Officer's Sex-Change Story
An investigation is under way after KPRC Local 2 aired a story about Houston Police Sgt. Jack Oliver's decision to have a sex change operation.

[MI, USA]
Article needs clarification, transgender not "lifestyle"
I am writing in regards to the recent article "Making the Transition," <http://www.statenews.com/article.phtml?pk=36827>(SN 7/10)

[NY, USA]
Transgender man's name change denied
He must show medical proof to legally become Evan, judge rules

[South Korea]
Sexual Change in Korean Society
Ms. Harisu was reborn last year.

FR [Portugal]
Gay Pride : 200 manifestants pour une première à Porto
Quelque 200 personnes, certaines masquées, ont défilé samedi 8 juillet pour la première Gay Pride jamais organisée à Porto, dans le nord du Portugal, afin de commémorer le meurtre sauvage d'un transsexuel dans cette ville, ont annoncé les organisateurs.

quarta-feira, Julho 12, 2006

Caso Gisberta: Ouvidas hoje oito testemunhas de acusação


Diário Digital / Lusa

Parece claro que o caso Gisberta morreu. Não aparecem notícias sobre o julgamento desde a semana passada nos principais diários do país. Ou se trata de (mais) uma tentativa de abafar este caso, ou realmente existe algo de MUITO PODRE no reino da Dinamarca (leia-se Portugal). Até mesmo nas mailing lists LGBT onde fui buscar muitas notícias, parece que se acomodaram desde a Marcha do Porto. Será que a Gis só interessou como tema de maneira a tentar chamar as atenções para a primeira marcha? Eu fui lá, convencida que se queria justiça. Mas nem este link apareceu lá, tive de o procurar na net. Tá mal, tá muito mal.

[CA,USA]
San Francisco Poised to Make Transgender History, Again!
Board of Supervisor's Budget Committee recommends $300,000 in 2006 budget to increase opportunities for transgender employees and entrepreneurs.

[New Zealand]
Beyer expects to be next MP to exit
Labour list MP Georgina Beyer says she expects to step down well in advance of the next election as part of the party's "rejuvenation" process.

segunda-feira, Julho 10, 2006


Agora finalmente sobre a 1ª Marcha do Orgulho LGBT do Porto. Lá fomos na Sexta-feira no comboio das 07h55m. Depois de uma viagem sem incidentes, chegámos ao Porto pelas 23h04m.

Procurámos mas não estava ninguém à nossa espera. Depois de uns telefonemas, lá descobrimos que o carro onde o Bruno nos vinha buscar tinha ficado empanado. Lol. Depois de esperarmos um bocadito, uma das Panteras do Porto lá nos foi apanhar. Com isto tudo, já não fomos a uma reunião onde éramos esperadas, mas antes fomos ajudar com ideias na peça que iria ser representada no fim da Marcha.

Finalmente lá fomos para casa do Bruno, para descansar. Descansar??? Ficámos foi a conversar até às sete da manhã, nós as duas, o Bruno e a Mónica, uma estudante que partilha casa com ele. Quando fomos finalmente dormir é que foi bonito, pois as gaivotas portistas decidiram dar um show de grasnidos que pelo menos a mim não me deixou pregar olho. A Lara ainda dormiu tipo uma horita e meia. Ou seja, quando fomos para a Marcha, estávamos mais mortas que vivas.

Mas lá fomos para a Marcha, onde nos reunimos com algumas trans do porto, a Kati, a Ruth Bianca e mais uma da qual não me recordo o nome (sorry), além do Stef. Pouco antes do início da marcha e depois dos nacionalistas nos terem mostrado que também sabem fazer faixas, mostrando-nos uma que dizia 'Não ao Lobby gay', salvo erro (já agora, agradeço-lhes a presença pois mais do que qualquer coisa que pudéssemos ter dito ou feito, a sua presença demonstrou como marchas deste tipo são necessárias. Mais uma vez lhes agradeço a presença), fomos fazer uma homenagem à Gisberta no sítio onde foi morta. Depusémos flores, acendeu-se uma vela que lá ficou em sua memória, e o Júlio leu um pequeno texto escrito por ele e dedicado à memória da Gis. Não penso ser necessário frisar que a intensidade do momento fez com que umas poucas lágrimas aflorassem os olhos da maior parte dos presentes, especialmente da Kati e da Bianca, que a conheciam e de quem eram amigas.




Com tudo isto, e por não se ter podido contactar toda a organização (no meio daquela confusão, lol) quando acabámos já a marcha se tinha iniciado. Lá fomos depressa para os apanhar, e quando finalmente os alcançámos metemo-nos no fim, para não complicar as coisas. Sem o sabermos, ficámos imediatamente atrás dos nacionalistas que segundo parece acompanharam a marcha até ao fim. Só quando veio um da organização chamar-nos para o nosso lugar é que saímos dali. Mas tudo correu numa 'nice'.






A marcha em si decorreu sem problemas de maior. Não se respondeu às (poucas) provocações que se ouviram, e lá fomos gritando umas palavras de ordem de vez em quando. O nosso bloco (ªt) era o mais calado, em memória da Gisberta. A nossa disposição era a seguinte (mais ou menos):

O Stef, eu, a Katy, a Bianca, a Lara e a tal miúda no fim, da qual não me lembro o nome.

A organização está de parabéns pelo bom trabalho que realizou, sinceramente nunca pensei que a primeira marcha no Porto reunisse tanta gente. Foi muito bom. No final da marcha, leu-se o manifesto, fez-se 1 minuto de silêncio em memória de Gisberta, e depois foi a peça em que se pretendia participação do público. E teve-a.

À noite fomos com uma bancazinha da ªt para o Pride, eu, a Lara e o Stef, pelas 03h viémos embora que estávamos ARRASADAS. E hoje regressámos pelas 15h junto com o Sérgio.

E foi assim a primeira Marcha do Orgulho LGBT do Porto. Deixo-vos com mais umas fotos e os votos de uma boa semana.




Mais duas fotos que me mandaram ainda da Marcha de Lisboa:





A Lara, a Cristina e eu antes da marcha se iniciar




Durante a marcha, ostentando a faixa sobre identidade de género das Panteras Rosa, o Stef, a Lara, a Salomé e eu, logo seguidos pelos Panteras Rosas

(A nossa participação foi como convidadas dos Panteras Rosa, ou "Panterinhas adoptadas")

Ok, regressei em força. Fui à Marcha do Porto, da qual lhes falarei mais à frente, e por isso desde sexta-feira o blog esteve parado. Actualizemos então o blog....


Transsexual: autópsia não confirma agressão sexual


2006/07/07 19:28 Cláudia Rosenbusch


Perito médico-legal encontrou lesões. Mas incapazes de provocar a morte


O médico do Instituto Nacional de Medicina Legal do Porto, ouvido esta sexta-feira no julgamento dos 13 menores envolvidos na morte de um transsexual, referiu que os exames ao corpo da vítima não identificaram lesões no ânus da vítima que sustentem a tese das agressões sexuais, designadamente, a introdução de um pau de cinco centímetros de diâmetro e um metro de comprimento.


Ouvido esta tarde, durante cerca de duas horas, por indicação do Ministério Público, o médico legista que realizou a autópsia de «Gisberta», confirmou a existência de lesões traumáticas na vítima, mas que não conduziriam à morte. Referiu por outro lado que não encontrou feridas abertas ou fracturas na vítima e que, numa pessoa normal, as lesões ficariam curadas em 15 dias. Tratando-se, como referiu, de um doente com sida em fase terminal, essa recuperação poderia levar mais algumas semanas.


O médico refere que as lesões traumáticas foram provocadas por «objectos contundentes ou actuando como tal», podendo aqui incluir-se paus e pedras.


Recorde-se que autópsia revelou que a vítima morreu afogada. O Ministério Público refere que seis jovens terão atirado o corpo para um poço coberto de água dentro do parque de estacionamento habitado pelo transexual, convencidos de que a vítima não resistira às lesões e falecera.


Nem todos admitem as agressões


Durante toda a semana, o Tribunal de Família e Menores do Porto ouviu os 13 menores a quem o Ministério Público imputa os crimes de homicídio qualificado tentado e profanação de cadáver, igualmente tentado, ocorridos em Fevereiro deste ano. Por serem menores não respondem criminalmente, mas podem ter de cumprir medidas de internamento em centro educativo.


Um menor recusou prestar depoimento e outro apenas aceitou falar de si, e do seu envolvimento no caso, recusando sempre respostas que envolvessem os colegas.


Todos admitiram que frequentavam o parque de estacionamento em que a vítima, sem-abrigo, residia, mas apenas alguns admitiram que molestavam fisicamente a vítima, com o intuito de se divertirem. Negaram sempre a intenção de a matar.


Outros menores negaram sequer que alguma vez a tivessem agredido, muito embora reconhecessem que assistiam a tudo sem nada fazer para o impedir.


O comunicado do Tribunal, emitido a meio da tarde, refere que nos dias 11 e 12 de Julho, pelas 9.30 horas, iniciar-se-á a inquirição das testemunhas pelo Ministério Público.


O Ministério Público arrolou 14 testemunhas. A primeira é o menor de 16 anos, que chegou a estar em prisão preventiva e que por ser imputável já responde criminalmente. O inquérito criminal ainda está a decorrer.


Seguem-se inspectores da PJ, agentes da PSP, a directora de uma instituição de solidariedade social «Migalha de Amor» que a vítima chegou a frequentar, docentes da escola que os menores frequentavam, bem como os directores das instituições que os acolhiam.


(Esta notícia recebi-a via email. Fiz uma busca na net a procurar a fonte, mas não a encontrei. Assim que souber de onde a retiraram, actualizarei este post)


PÚBLICO - EDIÇÃO IMPRESSA - NACIONAL


Domingo, 9 de Julho de 2006


"Nem menos, nem mais, direitos iguais"


Primeira marcha do orgulho LGBT do Porto sem incidentes, apesar da presença de nacionalistas


As palavras de ordem alternavam, alegres, nas vozes incansáveis. Ora "Nem menos, nem mais, direitos iguais", ora "Eu amo quem quiser, seja homem ou mulher". A primeira Marcha do Orgulho LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Trangéneros) do Porto saiu ontem. Sem exuberâncias. Por "um presente sem violência", por "um futuro sem diferença".


O Campo 24 de Agosto, ponto de partida do desfile, amanheceu marcado. No balneário municipal, alguém escreveu: "Paneleiros? Não, obrigado". Do outro lado da via: "Paneleiros para a fogueira". Já por volta das 15h00, os activistas concentravam-se e, a uns metros, meia dúzia de nacionalistas tentava içar um cartaz: "Não ao lobby gay". A polícia obrigou-os a guardar o material. Guardaram-no, mas acompanharam a marcha até ao fim (não sem forte vigilância).


A parada arrancou no cenário da morte da transexual e sem-abrigo Gisberta. Gisberta tornou-se um símbolo. "Pelas debilidades e factores de exclusão que acumulava, é um exemplo da incapacidade do Estado em garantir políticas sociais [...] que combatam a exclusão e a degradação do ser humano", sustentava o manifesto distribuído no fim.


O desfile cumpriu-se ao rufar de bombos. Com uma bandeira gigante. Com faixas em prol do reconhecimento de direitos LGBT, mas também da despenalização da aborto. "As pessoas começam a ficar fartas da hipocrisia", interpretava Júlio Esteves, um dos muitos participantes - 200 segundo a polícia, 500 segundo a organização, uns poucos com máscara. Presentes estiveram o BE e o Partido Humanista.


Houve protestos ("Andor! Andor!", resmungava uma rapariga que queria apanhar o autocarro). Alguma troça ("As bichas lá conseguiram parar o trânsito!", ria-se um homem). Muito espanto ("Ai! Meu Deus!", exclamava uma mulher). Mas também reconhecimento (Aceito e respeito", afiançava um rapaz de 15 anos).


A parada pelos direitos humanos - a começar pela "igualdade, independentemente da orientação sexual e da identidade de género" - terminou sem confrontos, na Praça D. João I. A organização revelava-se agradada com o grau de participação e elogiava o trabalho da polícia. "Sendo a primeira, está mais gente do que esperava", comentava Dina Nunes, que veio de propósito de Lisboa com umas amigas para desfilar.


Ana Cristina Pereira

PortugalDiário - 2006/07/08
Marcha gay no Porto - Perante a indiferença, a curiosidade e a indignação da população


Correio da Manhã - 2006-07-09
Porto - primeira marcha de orgulho gay: Lembrar a Gis

sexta-feira, Julho 07, 2006

Julgamento do caso Gisberta - 4º dia: revista de imprensa


Jornal de Notícias: "Orgulho Gay" marcha para lembrar Gisberta



O Primeiro de Janeiro: Marcha pelo direito à igualdade



Público: Editorial - O martírio de Gisberta e os clones de Alex



Público: Menor envolvido no caso Gisberta pede para não falar



aguardam-se os novos desenvolvimentos de amanhã

[China]
Transsexual auctioning her book rights for US $15 mln
On June 28th, in Bejing's Tian'anmen Square and Wangfujing Street, transsexual Gao Tingting tried to auction her autobiography at the price of US $15.38 million. She said she penned her tome of 280,000 words to describe the psychological path she took during the process of changing her sexual identity.

[Áustria]
Tribunal austríaco valida casamento entre mulher trans e outra cis
A Justiça austríaca reconheceu pela primeira vez o casamento entre duas pessoas consideradas do mesmo sexo, sendo uma delas transexual, apesar de a Áustria não permitir juridicamente a união de casais deste tipo.

[Argentina]
Presentaron libro sobre la Comunidad Travesti
Más de doscientas personas se dieron cita en las sede de la Facultad de Periodismo y Comunicación Social, para presenciar el lanzamiento del libro "La Gesta Nombre Propio. Informe sobre la situación de la comunidad travesti en Argentina".


[España]
El Registro Civil cambia el sexo a un transexual sin operar
Un juzgado de Guipúzcoa ha admitido el cambio en el Registro Civil del nombre y sexo de un transexual masculino sin operar, porque ha seguido «todos los tratamientos recomendados para que esta mujer, que se siente hombre, adecue su sexo psicológico a su físico», según la sentencia.

[CA, USA]
'Panic' bill clears Senate panel
A state Senate committee last week approved a bill that would limit the use of so-called panic strategies by criminal defendants in murder cases.

quinta-feira, Julho 06, 2006

Marcha do Orgulho Lésbico, Gay, Bissexual e Transgénero


8 de Julho de 2006, Porto


Julgamento do caso Gisberta - 3º dia: revista de imprensa


Público: Tribunal insiste em perceber motivações dos jovens que mataram Gisberta

Um valente espanto
Ana Cristina Pereira

Há cinco dias que o meu cérebro anda às voltas. Como pode o Ministério Público (MP) sustentar que os menores atiraram Gisberta para um poço de 15 metros de profundidade sem a matar? E como é que isto se conjuga com o crime de ocultação de cadáver?

As agressões ter-se-ão arrastado ao longo de dois dias - dois dias. Os menores tê-la-ão espancado, tê-la-ão sujeitado a sevícias sexuais, tê-la-ão queimado com pontas de cigarro. Tudo por "brincadeira", por "divertimento". Imagino o quanto Gisberta se terá divertido...

Os rapazes terão ateado uma fogueira para se desenvencilharem do corpo e só terão recuado por temerem a denúncia feita pelo fumo e pelo cheiro. Não a mataram, não senhor. Ter-se-ão "limitado" a atirar a agonizante Gisberta ao poço, apesar da sua súplica.

É convicção do MP que quem matou Gisberta foi a água. Os rapazes "apenas" admitiram a hipótese de ela vir a morrer e se conformaram. Não compreendo, não consigo compreender. Se eu espetar uma faca no coração de um transeunte e ele morrer, não fui eu que o matei, foi a faca? E se lhe der um tiro na cabeça? Foi a pistola?

Disparate meu que não sou jurista. A opção pelo homicídio tentado ao invés do consumado é elementar! Gisberta seria uma espécie de MacGyver (herói de televisão da década de 80 que resolvia o mais bicudo dos problemas com um simples fio de cabelo). Qual doença, quais ferimentos, qual quê? Gisberta tinha força e artimanha para sair do poço. Quem, no lugar dela, não teria? Não escalou mais de 15 metros e caminhou até uma cabina para chamar uma ambulância porque não quis...

Quem me dera ser jurista, quem me dera. É que gostaria ainda de perceber outro aspecto que muito me tem intrigado. Como é que se pode, ao atirar uma pessoa viva para um poço, não querer provocar uma morte e ao mesmo tempo desejar ocultar um cadáver? Há cadáveres vivos?

Não compreendo, não compreendo. Cristina, a primeira jovem a desaparecer em Santa Comba Dão, também morreu por afogamento depois de, alegadamente, o cabo reformado a ter tentado estrangular e a ter atirado à água. Porque terá, afinal, o antigo militar sido indiciado pelo crime de homicídio qualificado e não pelo de homicídio tentado, como os 13 rapazes? Será que Cristina era menos dotada do que Gisberta? Ou será que Gisberta - por ser imigrante, sem-abrigo, transexual, prostituta, seropositiva e tuberculosa - era menos pessoa do que Cristina?

Senhor procurador, se um dia (o diabo seja cego, surdo e mudo) um bando de rapazes me apanhar numa esquina, me levar para um prédio devoluto, me espancar, violar e atirar a um poço de mais de 15 metros de profundidade, não pense que sou o MacGyver. Eu nem sequer sei nadar... Peça medidas tutelares exemplares para os meus carrascos, senhor procurador! Uma morte é uma morte. E há menores em regime fechado por tráfico de droga. Traficar droga será mais grave do que espancar, violar e atirar a um poço alguém que pede auxílio?

Este comentário saiu em complemento à notícia do julgamento.

aguardam-se os novos desenvolvimentos de amanhã

[UK]
'Always a sex-change first, and anything else second'
Almost half a century after changing sex, April Ashley is now, officially, a woman, thanks to the 2004 Gender Recognition Act. She claims that John Prescott helped her with the paperwork - she knew him from when they both worked at a hotel in Wales and shared a bedroom, but back then she was a boy.

quarta-feira, Julho 05, 2006

Julgamento do caso Gisberta - 2º dia: revista de imprensa






O Primeiro de Janeiro: Defesa contesta resolução do PE




de realçar: "Na sessão desta terça-feira uma advogada em representação do Estado brasileiro tentou assistir ao julgamento, mas o juiz negou-lhe a entrada porque ainda não tinha recebido o pedido oficial."


aguardam-se os novos desenvolvimentos de amanhã

[Turkey]
"Pink Life" Transgender Association Founded
Transvestites and transsexuals in capital Ankara found "Pink Life" support association in wake of growing attacks on Turkey's transgendered community. "We will struggle for social, economic, cultural rights but most important of all, the right to life".

[South Korea]
Recognition of transgender rights: Compassion and logic
An issue that has been drawing increasing public attention in Korea is the legal status of transgender individuals.

terça-feira, Julho 04, 2006

Continua a desinformação à volta de Gisberta. No caso do DESTAK de 03 de Julho de 2006, e apesar de lhe chamar Gisberta, sabemos que era "um travesti". Isto depois de se insistir n vezes que era TRANSEXUAL. Para jornalistas deixam muito a desejar...

No Jornal de Notícias, Diário Digital e SIC Online é sempre "O" transexual (pelo menos já não é travesti...)

Quem quiser ler os artigos ou a parte deles que foi publicada online, ficam aqui os links:




E agora o único que trata a Gisberta de uma forma digna, não fosse um dos jornalistas a Fernanda Câncio:
Diário de Notícias: "Ela conhecia dois desde bebés", diz amiga de Gis

Termino com um extracto desta última reportagem, que online está incompleta (não publicam os artigos completos):

"Mas este entendimento do MP, que em si mesmo surge como algo contraditório (se os jovens admitem que lançaram o corpo ao fosso para o ocultar, porquê a "forma tentada"?) parece entrar em choque frontal com os factos que a investigação e, nomeadamente, as confissões dos jovens, terá carreado para o processo. Se, como noticiou o Público, a vítima terá pedido ajuda antes de ser lançada no fosso e os jovens que nele a deitaram não podiam, assim, ignorar que estava viva, como sustentar que não tinham intenção de a matar?"
[Iran]
Boy-girl movie bends more than gender in Islamic Iran
In Islamic Iran where practising male homosexuals risk the death penalty, a new documentary about the plight of transvestites and transsexuals has bent more than gender.

[AL, USA] [Letters to the Editor]
Transgender story not fit for paper
Why is it front-page news when a man, dressed as a woman, wants to marry a woman? Your story about Janus Freeman -- who was a husband and is a father -- who now claims to be a transgender woman is preposterous and does not belong in a family paper, much less on the front page.

[USA]
Sex change? Something fishy
Some sea creatures can spontaneously change reproductive organs. Genetic plus environmental factors determine sex.

[RI, USA]
Living as drag queen
Since he was a little boy, he has had a flare for hair and makeup, as well as performing on stage. Now the two go hand and hand.