Transfofa em Blog

Um espaço especial e pessoal, para dar relevo a cada momento único - Bem Vind@ ao meu Blog!

segunda-feira, Novembro 14, 2005

Imagine o seguinte cenário por um minuto: Nasceu para o mundo e por fora parece-se como outro bebé masculino qualquer.

Depois do nascimento, os pais vestem roupinha azul, dão um nome masculino e baptizam em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

Mas conforme cresce, apercebe-se que existe algo diferente em si. Embora toda a gente o veja como um rapaz, não é o que sente interiormente.

Conforme fica mais velho, apercebe-se que sente mais como uma rapariga. É gozado viciosamente por demonstrar interesse por coisas "femininas" e rapidamente tenta cumprir os papéis socialmente impostos para os géneros.

Torna-se adulto, cumpre o serviço militar, casa com uma mulher e tem filhos. Tem sucesso na carreira, ama a família e no entanto sente-se miseravelmente. Pratica cross-dressing em segredo e procura no álcool suavizar a depressão.

Aos 40 anos finalmente admite a verdade: é uma transexual.

O cenário anterior não é somente uma história ficcionada. Nem sequer é rara.

É a experiência de incontáveis transexuais MTF (Male to Female) que lutam para lidar com a verdade sobre quem são.


Este texto tocou-me imenso, foi como se estivesse a ler sobre a minha vida. Aconselho vivamente quem se interesse por este tema, a ler o original, o qual não o publico aqui por ser muito extenso. Quem souber inglês, siga o
link